Alamanaque do Sabor no Google+

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Vinho Francês Chateau Carignan 2011

Olá!

Vinho Chateau Carignan 2011
Chateau Carignan 2011
Quinta-feira passada estivemos minha esposa e eu no L'Entrecôte d' Olivier da Alameda Lorena para comer o tradicional L'Entrecôte.
E, mais do que óbvio, vinho para acompanhar essa maravilha.

Procurando na carta decidimos pelo Chateau Carignan 2011. E que grata surpresa! Era fabuloso!

Este rótulo leva o nome do local de produção, na França, distando alguns quilomêtros de Bordeaux.
Na abertura da garrafa senti um cheiro de algo que passou do ponto. Não sei exatamente descrever a sensação, mas a prova do primeiro gole não deixou dúvidas! Delicioso!

Alguns minutos aerando na taça e o aroma se dissipou, mas ainda permanecendo lá no fundo...
É um tinto encorpado com cor rubi intenso, muito bonito.

O produtor recomenda temperatura de serviço entre 16 e 18 graus.
A garrafa deve ser aberta não menos do que 5 anos e também não mais do que 10 anos.

Como harmoniza bem com carne vermelha, combinou perfeitamente com o prato único da casa.

As uvas deste Chateau Carignan são Merlot, predominante, Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc.

Chateau Carignan - França
Chateau Carignan

Não falarei do preço, pois, em restarauntes, bares, etc, sempre será maior do que o vendido no varejo.

As vinhas tem idade média de 30, 35 anos cultivadas às margens do rio Garonne e o vinho é envelhecido por até 12 meses. Daí um sabor tão sofisticado e apurado.

Finalizando, adoramos o vinho.
E vocês também adorarão!

Ciao!

Receita - Lasanha de berinjela

Nada como uma receita fácil, nutritiva e light para uma segunda-feira pós farra gastronômica.
Afinal quem nunca cometeu excessos de final de semana?
A berinjela é um legume barato, versátil e funcional.Com alto teor de fibras,fonte de potássio, ácido fólico, e vitaminas B1 e B6, além disso está associada com a diminuição das taxas de glicose e colesterol.
Na hora da escolha, opte pelas mais firmes, com cor e textura uniformes (safra de janeiro à maio).

Vamos a receita


Lasanha de Berinjela - Almanaque do Sabor - https://almanaquedosabor.blogspot.com
Lasanha de Berinjela



Lasanha de Berinjela

  • 4 berinjelas médias;
  • 500 gramas de ricota;
  • 100 gramas de parmesão ralado grosso;
  • 8 tomates maduros;
  • 8 folhinhas de manjericão;
  • 4 dentes de alho;
  • Sal e pimenta do reino a gosto;
  • Azeite para preparo.


Preparo


Faça um molho com os tomates maduros (sem a pele e bem apurado), alho e um fio de azeite, finalize com o manjericão, sal e pimenta do reino. Reserve.
Lave e corte as berinjelas no sentido horizontal em fatias com mais ou menos 1 cm de altura.
Em uma frigideira antiaderente doure as fatias da berinjela dos dois lados (se necessário adicione um fio de azeite).
Amasse a ricota com auxílio de um garfo, adicione um dente de alho amassado, sal e pimenta a gosto.


Montagem


Em um refratário arrume as fatias de berinjela, adicione um pouco do molho, seguido de parte da ricota.
Siga estas etapas até finalizar os ingredientes.
Termine com o parmesão ralado e leve ao forno médio por até dourar (por volta de 25 min).


Lasanha de Berinjela - Almanaque do Sabor - https://almanaquedosabor.blogspot.com
Lasanha de Beringela


domingo, 28 de fevereiro de 2016

Dica de aplicativo: Vivino

Olá!

Neste post deixo a dica de um aplicativo muito legal e gratuito para quem quiser conhecer mais sobre vinhos.

Trata-se do Vivino.
Nele você encontra todas as informações do vinho: como ano, uva, produtor e país. Além da avaliação de milhões de usuários.
Você também pode avaliar uma garrafa e compartilhar com outros usuário o que é muito bacana, pois não é preciso ser um especialista.

Mas a função mais importante é a possibilidade de tirar foto do rótulo e o Vivino reconhecê-lo automaticamente!

Tem versões para Android, IOS (Iphone e Ipad) e Windows Phone.

Almanaque do Sabor - almanaquedosabor.blogspot.com.br
Vivino para Android, IOS (Iphone, Ipad) e Windows Phone

Baixe em https://www.vivino.com/app

Ciao!


sábado, 27 de fevereiro de 2016

O que é o decanter? Para que serve? Quem?!

Olá!

Neste post não escrevo sobre vinho, mas sim de um objeto que melhora a experiência ainda mais!

Apresento a vocês o Decanter, pronuncia-se "Decantê".

Decanter
Este acessório, para alguns aficionados, é indispensável.
Tem dois fins, o primeiro serve para separar os sedimentos em vinhos mais antigos deixando apenas a bebida pura e pronta para consumo.
O segundo, aerar.
Todos sabemos que qualquer vinho intensifica seus sabores, seus cheiros, sua cor quando em contato com o ar, por isso o processo de aeração no Decanter se torna importante.

Quanto tempo o vinho deve ficar no Decanter?
Bom, depende, não é matemática... Vinhos mais novos, menos de 3 ou 4 anos, entre 20 e 30 minutos, os intermediários alguns minutos a mais.

Já os mais antigos menos tempo no Decanter e deixemos o resto para a própria taça resolver. Porém devemos observar que abertura de um rótulo mais antigo é um processo mais complicado que envolve outras etapas. Mas isso fica para um próximo post.



Uma boa dica: O vinho está difícil? Travando na boca e nem a água gelada resolve?
Vá de Decanter!

Já tomei algumas garrafas que pareciam impossíveis de se recuperar, casos perdidos, mas o heroico e subestimado Decanter veio em socorro e salvou-a!

O Decanter é tão antigo quanto o próprio vinho.
Em tempos idos o néctar definitivo era armazenado em grandes receptáculos como barris, por exemplo.
O Decanter era utilizado, então, para servir as pessoas.
Já foi produzido em bronze, cerâmica e diversos outros materiais.
Hoje comumente encontramos fabricado a partir do vidro ou cristal e os preços cabem em todos os bolsos.

Lembrem-se! Antes de arremessarem a garrafa pela janela deem uma chance ao Decanter!

Ciao!

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Restaraunte Indiano Gopala Hari


Há alguns anos, quando a minha irmã me convidou para conhecer um restaurante lacto-vegetariano com inspiração de sabores da Índia, confesso que fiquei receosa.
Porém desde sempre fui de conhecer e desfrutar sabores inusitados para depois meter o bedelho e dizer a minha opinião. Fui e me apaixonei.
Os detalhes conquistam, a começar pela entrada do estabelecimento, salpicada de pétalas de rosas por cada degrau onde pisamos. Decoração e trilha sonora típicas da Índia associadas ao maravilhoso aroma de especiarias que invade o salão, posso garantir, surpreendem!
A comida tem um tempero perfeito, tudo se encaixa em quantidade e harmonia, além disso o custo é super em conta (inclusos, salada, sobremesa, prato principal e suco).
Mesmo cheio, o atendimento é feito com muita simpatia e hospitalidade.
O cardápio possui duas opções diárias a escolher. Essas opções variam de acordo com o dia da semana e podem ser previamente consultadas no site.
Perdi as contas de quantas vezes já fui almoçar e apresentei esse restaurante para amigos e parentes.
Algumas dicas:
Primeiro: Chegue cedo, pois antes mesmo de abrir as filas já tomam a calçada;
Segundo: É provável que tenha fila, então aproveite enquanto espera e prove o Caipirish (bebida que combina gengibre, mel e limão), que fica à disposição dos clientes, deliciosa e refrescante;
Terceiro: Se você não for de comer muito,  pode pedir uma porção reduzida (meia porção), pois os pratos são super bem servidos. Ou se for típico glutão peça metade de cada opção.
Quarto: O suco é servido à vontade, pode solicitar repetição sempre que você quiser;
Quinto: Não deixe de no final provar o chai indiano. À base de leite, gengibre, canela, cardamomo, cravo e cúrcuma, esse chá na Índia é tão comum como o cafézinho dos brasileiros;
Vamos às fotos da minha última visita:


Prato principal: Arroz aromático com cinco joias, pakora simples (legumes empanados e fritos) e mini cubos de abobrinha em base de massa crocante, acompanhado de dahl de feijão mungo! Divinoooo!

Salada: Alface crespa e lisa, pepino,tomate, trigo e lascas de manga;
Sobremesa: Entre as 4 opções que tinham no dia, fiquei com o pudim de iogurte com calda dourada!
Obs: Não estranhe se a sobremesa chegar antes da refeição. Este é um costume de lá.
E se puder não opte pela mesa com almofadas ao invés de cadeiras, desconfortável e ruim para comer.

Serviço: Muito bom
Comida: Muito bom
Sobremesa:Muito bom
Preço: $
Conforto: Bom




Endereço: Rua Antônio Carlos, nº 429
Consolação - São Paulo

Tel.: (11)3283-1292 ou (11)3262-5591

Horários: Segunda a sexta das 11:30h as 15:00 h
Sábado: 12:00h as 15:00h

http://www.gopalahari.com.br




segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Vinho Pata Negra Oro 2012

Olá!

Almanaque do Sabor
Pata Negra Oro 2012
No terceiro post sobre vinhos falarei do Pata Negra Oro.

Já tomei este espanhol algumas vezes e acho muito bom e fácil de beber.

A uva deste tinto é a Tempranillo, creio que seja a mais importante na Espanha, quando falamos de vinhos.
Oriunda da Rioja, a Tempranillo hoje é candidata forte para cultivo em outras partes do mundo por facilmente se adaptar a outros climas e também por não impor grandes dificuldades para plantio e colheita.

São vários os rótulos com esta casta, mas o Pata Negra Oro, para mim, se destaca, pois seu sabor é consistente.
Já tomei o mesmo vinho sob as mesmas circunstâncias e duas garrafas diferirem no sabor, nos cheiros.
Um bom exemplo é o Tannat 2012, varietal da gaúcha Aurora, que na primeira estava pronto para Baco, já na segunda...

Almanaque do Sabor
Uva Tempranillo



Este Tempranillo é seco de corpo médio, que combina com alguma carne que não seja pesada, harmonizando bem com assados.

Bastam alguns minutos na taça para ter seu sabor e aromas realçados.
Quem está iniciando neste mundo de aromas, sabores e cores se sentirá a vontade logo nos primeiros goles.


Almanaque do Sabor
Castelo Clavijo - Rioja
Acompanhou este 2012 apenas pão francês e água, segundo os especialistas, este é o modo correto de degustar essa maravilha.

A garrafa deste Tempranillo custa em média R$ 45,00 e como sempre, vale a procura.
Tenho certeza de que vocês curtirão, é um vinho muito gostoso, desce muito bem.

Almanaque do Sabor
Haro - Rioja

Uma garrafa será pouco, sem dúvida!

Até o próximo e não se esqueçam de comentar!


quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Restaurante Italiano Zena Caffé

Ouvi falar bastante desse restaurante e estava bem ansiosa para conhecer.
Quando cheguei não me impressionou. Lugar pequeno, despretensioso e atendimento lento.
Tinha reserva, portanto não precisei esperar, mas a casa estava lotada!
O ambiente é confortável e descontraído, e logo fui surpreendida pela qualidade e pelo sabor da comida.
Com gastronomia típica da Ligúria, região norte da Itália, sob o comando do competente Chef Carlos Bertolazzi (apresentador do reality de gastronomia Cozinha Sob Pressão no SBT) o menu agrada e o destaque vai para uma grande variedade de focaccias (a casa possui um forno próprio para assar e servir no sabor e textura perfeitos).
A carta de vinhos é boa e com opções bem acessíveis.
No final das contas ficamos só nas entradinhas e sobremesa, mas prometo voltar e provar o especial e premiado Nhoque.

Entrada 1: Focaccia della Casa al formaggio: Magnífica!




Entrada 2: Coxinha de costelinha: Muito boa!


Entrada3: Arancini de riso com funghi


Sobremesa: Focaccia de Nutella com sorvete de creme.



Serviço:Bom
Comida: Muito bom
Sobremesa: Bom
Preço: $$
Conforto: Bom

Endereço: Rua Peixoto Gomide 1901
Jardim Paulista- São Paulo

Tel:3081-2158

Horários:
Segunda, Terça, Quarta e Domingo: de 12:00h a 00:00h;
Quinta a Sábado: de 12:00h a 01:00h.

www.zenacaffe.com.br

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Vinho Vezzani

Olá!

Vinho Vezzani - Montepulciano d'AbruzzoHoje começo com meus pequenos posts sobre vinhos.

O primeiro será Vezzani, aberto sexta-feira, dia 12/02/2016.

No rótulo também está escrito "Montepulciano d'Abruzzo".
Para os desavisados, Montepulciano é a uva e Abruzzo é a região que o produz.
A uva Montepulciano pode ser encontrada em quase toda Itália, mas predomina nessa parte do país.

As garrafas "Montepulciano d'Abruzzo" não necessariamente contém 100 por cento desta uva, podendo ser combinada com a Sangiovese.

O vinho tem corpo médio, que pra mim, significa tomar algumas taças sem ter a sensação de "travamento" e, realmente, senti seu gosto desta forma.
Abruzzo - ItáliaA acidez é alta e no começo parece mais forte do que é, mas bastou alguns minutos sem a rolha e ficou ótimo.

Para quem não está acostumado com vinhos, a dica é ter água por perto, gelada, limpa a boca e permite degustar melhor.

Acompanhou o Vezzani pão tipo italiano, ciabatta, queijo parmesão e provolone e também uma batata ao forno com queijo e limão.




Parque Nacional - Abruzzo - ItáliaEu gostei bastante, a Maureen também e estou certo de que vocês apreciarão este ano de 2012.

Este tinto seco custou R$ 30,00. Portanto, tomem cuidado, pois encontrei por volta de R$ 70,00 em algumas casas especializadas.
Vale a pesquisa.













Deixo para vocês, a tarefa árdua de degustá-lo!

Ciao!

domingo, 14 de fevereiro de 2016

Um pouco sobre vinhos...

Olá!



Meu nome é Ramires, marido da Maureen.
A partir de hoje darei pequena contribuição ao Almanaque do Sabor falando sobre vinhos.

Meus posts serão tão despretensiosos quanto uma taça de tinto no Jardim de Luxemburgo.


Não sou sommelier, tampouco especialista, apenas gosto de beber esta preciosidade.
A ideia é abrir um rótulo por semana, sempre de garrafas acessíveis, e dividir com vocês minhas impressões.
Não falarei aqui que senti um bouquet de cereja com toques de pimenta e couro, rsrs, deixo esta parte para quem sabe.
Discutiremos aqui se o vinho é fácil de beber, se não "trava" a língua, se ele é gostoso ou não e ponto.
Muito mais que uma bebida, o vinho nos reúne, nos alegra e nos inebria envolto em histórias e lendas.

Então se você, assim como eu, não entende de Baco, receba meu convite para nos aventurarmos neste mundo de fascínio! 

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Restaurante Árabe Sainte Marie

Eu estava doida para conhecer esse restaurante, diante de tanto burburinho que vi nas redes sociais.
Os horários são bem concorridos e fecha às 20 horas.
O local é pequeno, com decoração simples, os garçons se perdem em tamanha lotação, mas não perdem a simpatia.
Como sou persistente, não desisti. Fui em um sábado e cheguei antes de abrir, garantindo assim o meu lugar nessa incrível viagem pela culinária árabe.
O Chef Stephan Kawijian pilota literalmente o fogão, com uma paixão única pelo que faz. Além disso, passeia pelo salão verificando a satisfação dos clientes. Simpático, competente e irreverente, já nos deixou bem à vontade, envoltos em um clima simples e familiar.
Kawijian é libanês com descendência de armênios, já morou na Itália e na Líbia e essa mistura toda dá ao menu sua identidade única.
Vale a pena cruzar a cidade para conhecer esse lugarzinho tão falado e tão especial.
Bem vamos às nossas pedidas, que foram muitas....

Couvert básico com pão e coalhada que nunca comi igual (dos Deuses).


 Entrada: Linguiça temperada com alho e páprica acompanhada de ovo e cebola crocante.

Minha escolha: O famoso Kibe montado: superou todas as minhas expectativas!


Escolha do marido: Moussaka de cordeiro: delicioso!!!
Sobremesa: dividimos: torta de amêndoa com pistache.
Serviço: Bom
Comida: Excelente
Sobremesa:Excelente
Preço: $$
Conforto: Bom



Endereço: Rua Dom João Batista Costa, nº70 
Jardim Taboão - São Paulo

Tel.3501-7552

Horários:
Segunda a sexta: Das 10:00 as 20:00 horas
Sábado: 10:00 as 19:00
Domingo:Fechado