Alamanaque do Sabor no Google+

terça-feira, 8 de março de 2016

Meu filho não come, o que fazer?

Além de nutricionista, sou mãe e sei o quanto estamos preocupadas em ver nossos pequenos com um prato de comida completo e colorido. Infelizmente não é bem assim que funciona. Há crianças que têm verdadeiro pavor de provar novos alimentos (neofobia alimentar) e principalmente quando estes são os tão temidos vegetais!
No primeiro momento temos que fazer uma reflexão: como foi a introdução dos alimentos desde o desmame? Essa é a fase crucial em que o paladar e a memória gustativa acontecem. É importante  apresentar todos os sabores que a nossa língua é capaz de sentir (doce, salgado, azedo e amargo), pois isso fará com que a criança memorize e conheça todos os sabores.
Portanto se nessa fase você já introduziu doces, frituras e refrigerantes, ficará muito mais difícil conquistar o gosto pelos alimentos in natura.



Se você oferece o morango em um dia para o seu filho com açúcar ou leite condensado, por exemplo, fica quase impossível no dia seguinte ele preferir o morango puro. Aí a criança não come, a mãe se desespera e acaba dando qualquer docinho para o filho não ficar com a "barriga vazia".


Próximo passo devemos nos perguntar: eu dou um bom exemplo alimentar para o meu filho?
Não adianta nada você tomar refrigerante e empurrar suco de laranja para a criança. Nós somos a referência a ser seguida e devemos sim, mudar nossos hábitos para melhor formarmos os hábitos de nossos filhos. Isso será decisivo para ele e ótimo para você!
É necessário Educação Alimentar e também entender a importância  da alimentação saudável e não apenas garantir que seu filho "engoliu" aquela comida!



Bem, se você chegou até aqui e viu que fez tudo errado, não se desespere. Aí vão algumas dicas que tenho certeza, te ajudarão muito:
  • Não compre e nem tenha besteiras em casa: é muito mais difícil você ter que tirar algo da alimentação do seu filho se ele estiver em contato diário;
  • Você VAI ter que cozinhar, se não puder pagar uma cozinheira (mesmo assim de olho para garantir a qualidade dos alimentos preparados), arregace as mangas e bora pro fogão!;
  • Passeie pelo supermercado, mercados e feiras, familiarize-se com a leitura de rótulos e com a composição nutricional dos alimentos: prefira os livres de gorduras trans, corantes, conservantes e açúcares. Alimentos in natura sempre são as melhores opções (lembre-se, nós devemos prepará-los);
  • Envolva seu filho no preparo das refeições, garanta que ele conhece o nome das frutas, verduras e legumes... Mostre os benefícios de cada alimento e o que é possível fazer com eles;
  • Mesmo na correria do dia a dia e dieta que muitas mamães fazem, procure sentar com o seu filho à mesa, coma uma refeição completa e colorida com ele (como já dissemos, nós somos o exemplo);
  • Desligue a televisão, tablets e celulares, a criança precisa de paz para a refeição e não comer automaticamente enquanto assiste desenhos;
  • Deixe o seu filho se servir e montar um prato com pelo menos 4 cores;
  • Se necessário dê apelido para o nome do prato, faça carinha com a comida, pois o uso do lúdico ajuda e muito o poder de convencimento. Façam isso juntos!;
  • Tenha paciência, não será na primeira tentativa que seu o filho vai se apaixonar por uma beterraba! Insista, e apresente cada tipo de alimento pelo menos 10 vezes de formas diferentes;
  • Não ceda à birras, choros e chantagem. Criança sabe nosso ponto fraco e se perceber que estamos preocupados se comeu ou não... PRONTO: essa será a forma de chamar a atenção!;
  • Mostre sempre que está no comando da situação, respeitando, é claro, o limite do seu filho. Se você já apresentou o rabanete mais de 10 vezes e ele continua não aceitando, é porque realmente ele não gosta daquele alimento, e isso é totalmente normal! Substitua esse alimento por outro com propriedades nutricionais parecidas!;
  • Além dos alimentos que estão em evidência naquela refeição, é possível dar um "plus" nas vitaminas e enriquecer algumas preparações, como: feijão nutritivo com adição de abóbora, espinafre, cenoura, linhaça... Panqueca de espinafre, beterraba, bolos nutritivos (por que não um bolo de chocolate feito com cacau de verdade, farinha integral, açúcar mascavo e aveia?); 
  • Cuidado para que a hora da refeição não vire um "grande acontecimento", isso pode traumatizar seu filho e trazer transtornos alimentares futuros!;
  • Não ofereça recompensas ou presentes  em troca de uma refeição completa, isso pode virar um péssimo costume;
  • Não obrigue o seu filho a raspar o prato, cada um sabe do seu limite e come aquilo que aguenta;



Mamães, sem neuras: se ele não comeu bem, pode ter certeza, ele irá compensar em outra refeição, não inclua um "lanchinho não saudável" para suprir o pouco que comeu. Simplesmente aguarde e pode ter certeza: ele vai sentir fome!

Não percam os próximos posts com receitas bem legais para seu filho!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua com o blog, faça seu comentário!